Tuesday, April 3, 2007

Sobre o amor que sinto


O AMOR QUE SINTO



O meu coração se contorce
e torce as veias da alma
quando sem ti eu me encontro
sobressaltada madrugada

Sem ti nem a chama do sol
nem mesmo a luz das estrelas,
fazem brilhar as cores que um dia
alegraram a primavera.


Não que eu não mereça essa dor,
mas esta dor, coração, não mereces.
Se outrora eu era a Saudade
hoje me chamo Amor,


E se todo amor só é grande,
se a tristeza dele se apossa,
este amor por ti é sem fim,
e eu queria fazê-lo menor...


Pra que enfim pudesse viver
um amor feliz contigo,
onde a saudade não vive
e a nossa poesia é sem fim.




Vanessa Aquino
03 de Abril, 2007

O Beijo - Rodin.

3 comments:

Gil said...

Ola Manu,teu pedido pra mim é uma ordem,eis me aqui um simples mortal opinar sobre este poema feito com a alma de uma menina tao especial feito voce,continue escrevendo para poder alegrar o coraçao de seus amigos,que tenho absoluta certeza,te amam demais!!!Boa pascoa. Beijos Beto

Gil said...

Ola Manu,parabens teu poema realmente ta bem bonitinho,continue escrevendo
vc sabe muito bem como utilizar as palavras.
Poesia é um suspiro da alma.Garota vc nao tem noçao de como vc é importante,sinto um tremendo orgulho em fazer parte de teu circulo de amizades,seja sempre assim tao meiguinha !! Beijos Beto

Julia said...

Oi linda, que orgulho de fazer parte da sua história. Adorei! Você continua sendo doce e delicada, tocando o coração da gente pelo simples fato de existir. Que belo ensaio pro livro. Te amo muito. beijo. Julia.