Friday, May 8, 2009

Sobre a Mágica Palavra


Eu não sou poeta, sou uma encantadora
Encanto com palavras o que é morto e incolor
Sopro as palavras ao vento
E como bolhas de sabão elas encontram olhos infantis que querem brincar
Eu falo do amor onde vejo miséria
E da miséria onde há amor
eu faço da distância a corda que me puxa
e da saudade a força que me empurra
Eu não sou poeta, sou mágica,
Com a chave certa abro a caixa encantada que guarda o seu coração.
Eu desenho rios, lagos, cachoeiras, delícias que inundam a alma
palavra por palavra na sua imaginação.
Voce me lê e eu te descubro
colorido ser entre a paisagem.
Ah! Que bom seria se tudo fosse poesia
Pois eu sei bem que a força única que materializa o dia
mora em você e mora em mim
e pode ser falada, escrita, lida, ouvida
Eu não sou poeta, sou alquimista
misturo as palavras que te fazem borbulhar
e de ti fazem nascer borboletas furta-cor.

1 comment:

sampietro said...

Lindo Manu,amei.........