Friday, November 28, 2008

A rosa


Era uma rosa tão doce
cujos espinhos francos
à noite em seus prantos
suplicavam por perdão.


Era uma rosa tão branda,
cujas pétalas rosadas
coloriam-se de branco
quando plena a madrugada.


Era uma rosa tão bela
Quão belíssima aquarela
que os olhos de donzela
viam-se nela escondidos


Era uma rosa tão louca
Que embriagadas abelhas
por beijar tão bela boca
se consumiam em devaneio


Era uma rosa tão pequena
cujas folhas tão escassas
enternecidas de pena
Cobriam o imaculado cálice

Era uma rosa tão só
Que da roseira se estremou
E um planeta encontrou
Para tornar-se rainha


Era um planeta tão ermo
Dum príncipe tão tristonho
que a presença desta rosa
fez seu mundo virar sonho.
Vanessa E. De Aquino

3 comments:

O Peão said...

ei rosinha... ficou bom hein... ta ficando boa, ta aprendendo...
bjinhos borboleta...

Anonymous said...

E esta rosa tao prosa
fez a peqena majestade
dar a ela seus cuidados com toda intensidade...
beijos RO

Anonymous said...

hi, new to the site, thanks.